Busque uma postagem

Arquivos

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Escola Diaconal peregrina a Casa do Padroeiro do Maranhão

Candidatos ao diaconato permanente e esposas na praça do Cruzeiro

No fim da tarde do sábado, 04, diáconos permanentes e candidatos ao diaconato permanente, bem como suas famílias, realizaram peregrinação a Casa do Padroeiro do Maranhão por ocasião do Ano Santo da Misericórdia.
Após oração de envio na praça do Cruzeiro, os participantes partiram em caminhada orante em direção ao Santuário Arquidiocesano, passaram pela Porta Santa e participaram da santa missa, presidida pelo reitor do Santuário e diretor espiritual da Escola Diaconal, padre Cláudio Roberto. Após a celebração, houve coquetel no Salão Paroquial.

Sentido da Porta Santa (pelo papa)* - A gestão simbólica das “portas” – dos limiares, das passagens, das fronteiras – se tornou crucial. A porta deve proteger, certo, mas não rejeitar. A porta não deve ser forçada, ao contrário, se pede permissão, porque a hospitalidade resplandece na liberdade do acolhimento e se escurece na prepotência da invasão. A porta se abre frequentemente para ver se do lado de fora há alguém que espera e, talvez, não tem a coragem, talvez nem mesmo força de bater. Quanta gente perdeu a confiança, não tem a coragem de bater à porta do nosso coração cristão, às portas das nossas igrejas…E estão ali, não têm a coragem, tiramos a confiança delas: por favor, que isso nunca aconteça. A porta diz muitas coisas da casa e também da Igreja. A gestão da porta requer atento discernimento e, ao mesmo tempo, deve inspirar grande confiança. Gostaria de dizer uma palavra de gratidão para todos os guardiões das portas: dos nossos condomínios, das nossas instituições cívicas, das próprias igrejas. Muitas vezes, a atenção e a gentileza da portaria são capazes de oferecer uma imagem de humanidade e de acolhimento a toda a casa, desde a entrada. Há de se aprender com estes homens e mulheres, que são os guardiões dos lugares de encontro e de acolhimento da cidade do homem! A todos vocês, guardiões de tantas portas, seja das casas, seja portas das igrejas, muito obrigado! Mas sempre com um sorriso, sempre mostrando o acolhimento daquela casa, daquela igreja, assim o povo se sente feliz e acolhido naquele lugar.

*Catequese na Praça São Pedro , Vaticano, Quarta-feira, 18 de novembro de 2015.