quarta-feira, 16 de abril de 2014

EVANGELHO - MT 26,14-25 - HOMILIA - PE. CLÁUDIO ROBERTO





Ouça a homilia feita por nosso reitor, Pe. Cláudio Roberto na Celebração Eucarística das 17h de hoje (16).









Evangelho - Mt 26,14-25

O Filho do Homem vai morrer,
conforme diz a Escritura a respeito dele.
Contudo, ai daquele que o trair.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 26,14-25

Naquele tempo:
14 Um dos doze discípulos, chamado Judas Iscariotes,
foi ter com os sumos sacerdotes
15 e disse: 'O que me dareis se vos entregar Jesus?'
Combinaram, então, trinta moedas de prata.
16 E daí em diante, Judas procurava uma oportunidade
para entregar Jesus.
17 No primeiro dia da festa dos Ázimos,
os discípulos aproximaram-se de Jesus
e perguntaram: 'Onde queres que façamos os preparativos
para comer a Páscoa?'
18 Jesus respondeu: 'Ide à cidade,
procurai certo homem e dizei-lhe:
'O Mestre manda dizer: o meu tempo está próximo,
vou celebrar a Páscoa em tua casa,
junto com meus discípulos'.'
19 Os discípulos fizeram como Jesus mandou
e prepararam a Páscoa.
20 Ao cair da tarde, Jesus pôs-se à mesa
com os doze discípulos.
21 Enquanto comiam, Jesus disse:
'Em verdade eu vos digo, um de vós vai me trair.'
22 Eles ficaram muito tristes
e, um por um, começaram a lhe perguntar:
'Senhor, será que sou eu?'
23 Jesus respondeu:
'Quem vai me trair é aquele que comigo põe a mão no prato.
24 O Filho do Homem vai morrer,
conforme diz a Escritura a respeito dele.
Contudo, ai daquele que trair o Filho do Homem!
Seria melhor que nunca tivesse nascido!'
25 Então Judas, o traidor, perguntou:
'Mestre, serei eu?'
Jesus lhe respondeu: 'Tu o dizes.'




Palavra da Salvação.





  

terça-feira, 15 de abril de 2014

LOUVOR DA RESSURREIÇÃO SERÁ REALIZADO NESTE DOMINGO







A Renovação Carismática Católica convida você para participar do Louvor da Ressurreição que acontecerá no dia 20 de abril (Domingo de Páscoa), em nosso Salão Paroquial às 19h30. Com música, dança, teatro e Cristoteca o Louvor da Ressurreição já faz parte de nosso calendário há vários anos, e tem a organização do Ministério Boa Nova. PARTICIPE!








PROCISSÃO DE RAMOS DÁ INÍCIO A SEMANA SANTA EM NOSSO SANTUÁRIO





Neste último domingo, 13 de abril, a Igreja celebrou o "Domingo de Ramos" que marca o início da Semana Santa. A liturgia de ramos deste ano narra a paixão e morte de nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus. A Procissão em nosso Santuário acontece da seguinte forma: Em duas comunidades: Nossa Senhora das Graças (Bairro Campina) e São Benedito (Bairro São Benedito) saem procissões no mesmo horário, às 15h, que se encontram na Praça do Cruzeiro, às 16h. É realizado um momento de reflexão e logo após as duas procissões se unem e juntas seguem em direção a nossa igreja matriz para a Celebração Eucarística das 17h. Veja Algumas fotos:





Ministério de Música da Comunidade Santa maria anima a Procissão







Para ver mais fotos, clique aqui!





EVANGELHO - JO 13,21-33.36-38 - HOMILIA - PE. GUTEMBERG FEITOSA




Ouça a homilia feita por nosso vice-reitor, Pe. Gutemberg Feitosa na Celebração Eucarística das 17h de hoje (15).






Evangelho - Jo 13,21-33.36-38

Um de vós me entregará... O galo não cantará antes que me tenhas negado três vezes.


+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 13,21-33.36-38


Naquele tempo:
Estando à mesa com seus discípulos,
21 Jesus ficou profundamente comovido e testemunhou:
'Em verdade, em verdade vos digo,
um de vós me entregará.'
22 Desconcertados,
os discípulos olhavam uns para os outros,
pois não sabiam de quem Jesus estava falando.
23 Um deles, a quem Jesus amava,
estava recostado ao lado de Jesus.
24 Simão Pedro fez-lhe um sinal
para que ele procurasse saber
de quem Jesus estava falando.
25 Então, o discípulo,
reclinando-se sobre o peito de Jesus, perguntou-lhe:
'Senhor, quem é?'
26 Jesus respondeu:
'É aquele a quem eu der o pedaço de pão
passado no molho.'
Então Jesus molhou um pedaço de pão
e deu-o a Judas, filho de Simão Iscariotes.
27 Depois do pedaço de pão,
Satanás entrou em Judas.
Então Jesus lhe disse:
'O que tens a fazer, executa-o depressa.'
28 Nenhum dos presentes compreendeu
por que Jesus lhe disse isso.
29 Como Judas guardava a bolsa, alguns pensavam
que Jesus lhe queria dizer:
'Compra o que precisamos para a festa',
ou que desse alguma coisa aos pobres.
30 Depois de receber o pedaço de pão,
Judas saiu imediatamente.
Era noite.
31 Depois que Judas saiu,
disse Jesus:
'Agora foi glorificado o Filho do Homem,
e Deus foi glorificado nele.
32 Se Deus foi glorificado nele,
também Deus o glorificará em si mesmo,
e o glorificará logo.
33 Filhinhos,
por pouco tempo estou ainda convosco.
Vós me procurareis,
e agora vos digo, como eu disse também aos judeus:
'Para onde eu vou, vós não podeis ir'.
36 Simão Pedro perguntou:
'Senhor, para onde vais?'
Jesus respondeu-lhe:
'Para onde eu vou,
tu não me podes seguir agora,
mas me seguirás mais tarde.'
37 Pedro disse:
'Senhor, por que não posso seguir-te agora?
Eu darei a minha vida por ti!'
38 Respondeu Jesus:
'Darás a tua vida por mim?
Em verdade, em verdade te digo:
o galo não cantará antes que me tenhas negado três vezes.'



Palavra da Salvação.




PAPA FRANCISCO PROPÕE REFLEXÃO PARA A SEMANA SANTA





“A Semana Santa é um bom momento para confessar e retomar o caminho certo”, disse o papa Francisco no twitter, ontem, dia 14. Como proposta para viver a Semana Santa que celebra a paixão, morte e ressurreição de Jesus, o papa Francisco convidou os fiéis a um exame de consciência. Na missa do Domingo de Ramos, 13, e procissão na Praça de São Pedro, o papa deixou de fazer a homilia e propôs momento de reflexão sobre a passagem bíblica que retrata a Paixão de Cristo.
O papa sugeriu alguns caminhos para a Semana Santa e disse ser preciso questionar qual postura se deve assumir diante do Senhor. “Quem sou eu, diante de Jesus que sofre? Ouvimos muitos nomes. O grupo de líderes, alguns sacerdotes, alguns fariseus, alguns mestres da lei que tinham decidido matá-lo. Eles estavam esperando a oportunidade para prendê-lo”, disse.
Francisco falou sobre a atitude de Judas, que é retratado na Bíblia como o traidor. "Eu sou como Judas, que finge amar e beija o Mestre para entregá-lo, para traí-lo? Eu sou um traidor? Eu sou como os líderes que, com pressa, fazem o tribunal e procuram falsos testemunhos: Eu sou como eles? E quando eu faço essas coisas, se eu as faço, acredito que com isso salvo o povo?", acrescentou.
Onde está meu coração?

O papa continuou com as suas perguntas em meio a uma Praça silenciosa e reflexiva. “Eu sou como Pilatos que, quando vejo que a situação está difícil, eu lavo as minhas mãos e não sei assumir a minha responsabilidade e deixo condenar - ou condeno eu - as pessoas? Eu sou como aquela multidão que não sabia bem se se encontrava em uma reunião religiosa, ou num processo ou em um circo, e escolhe Barrabás? Para eles é a mesma coisa: era mais divertido humilhar Jesus”, afirmou.
O papa falou, ainda, do comportamento de José e de Maria que acompanharam o paixão de Jesus. “Eu sou como José, o discípulo escondido, que leva o corpo de Jesus com amor, para sepultá-lo? Eu sou como essas duas Marias que permanecem na porta do sepulcro, chorando, rezando? Eu sou como esses líderes que no dia seguinte foram a Pilatos para dizer: 'Mas, olha ele dizia que iria ressuscitar; que não seja mais um engano', e bloqueiam a vida, bloqueando o sepulcro para defender a doutrina, para que a vida não venha para fora? Onde está meu coração?”, questionou.
Ao concluir a reflexão, o papa Francisco pediu aos fiéis para que verificam com qual dos personagens cada um se identifica, propondo que esse questionamento seja vivido durante a Semana Santa.
Fonte: CNBB/Rádio Vaticana - Fotos: Divulgação




Créditos: CNBB





 

segunda-feira, 14 de abril de 2014

HOMILIA DOMINICAL - PAIXÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO SEGUNDO MATEUS




Neste Domingo de Ramos (13), a liturgia nos convidou a refletirmos sobre a Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. Assista a homilia dominical gravada em nossa igreja matriz na Celebração Eucarística das 08h30 que teve como presidente da celebração nosso reitor, Pe. Cláudio Roberto. Participaram também os(as) paroquianos(as): Deuza Maria, Raimundo Brandão, José Rubem e Tânia Brandão. Assista:





Evangelho - Mt 27,11-54

Tu és o rei dos judeus?
Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo Mateus 27,11-54

Naquele tempo:
11 Jesus foi posto diante de Pôncio Pilatos,
e este o interrogou:
'Tu és o rei dos judeus?'
Jesus declarou: 'É como dizes',
12 e nada respondeu, quando foi acusado
pelos sumos sacerdotes e anciãos.
13 Então Pilatos perguntou:
'Não estás ouvindo de quanta coisa eles te acusam?'
14 Mas Jesus não respondeu uma só palavra,
e o governador ficou muito impressionado.
15 Na festa da Páscoa,
o governador costumava soltar o prisioneiro
que a multidão quisesse.
16 Naquela ocasião, tinham um prisioneiro famoso,
chamado Barrabás.
17 Então Pilatos perguntou à multidão reunida:
'Quem vós quereis que eu solte:
Barrabás, ou Jesus, a quem chamam de Cristo?'
18 Pilatos bem sabia
que eles haviam entregado Jesus por inveja.
19 Enquanto Pilatos estava sentado no tribunal,
sua mulher mandou dizer a ele:
'Não te envolvas com esse justo! porque esta noite,
em sonho, sofri muito por causa dele.'
20 Porém, os sumos sacerdotes e os anciãos
convenceram as multidões para que pedissem Barrabás
e que fizessem Jesus morrer.
21 O governador tornou a perguntar:
'Qual dos dois quereis que eu solte?'
Eles gritaram: 'Barrabás.'
22 Pilatos perguntou: 'Que farei com Jesus,
que chamam de Cristo?'
Todos gritaram: 'Seja crucificado!'
23 Pilatos falou: 'Mas, que mal ele fez?'
Eles, porém, gritaram com mais força:
'Seja crucificado!'
24 Pilatos viu que nada conseguia
e que poderia haver uma revolta.
Então mandou trazer água,
lavou as mãos diante da multidão, e disse:
'Eu não sou responsável pelo sangue deste homem.
Este é um problema vosso!'
25 O povo todo respondeu:
'Que o sangue dele caia sobre nós
e sobre os nossos filhos'.
26 Então Pilatos soltou Barrabás,
mandou flagelar Jesus,
e entregou-o para ser crucificado.
27 Em seguida, os soldados de Pilatos
levaram Jesus ao palácio do governador,
e reuniram toda a tropa em volta dele.
28 Tiraram sua roupa e o vestiram com um manto vermelho;
29 depois teceram uma coroa de espinhos,
puseram a coroa em sua cabeça,
e uma vara em sua mão direita.
Então se ajoelharam diante de Jesus e zombaram,
dizendo:'Salve, rei dos judeus!'
30 Cuspiram nele
e, pegando uma vara, bateram na sua cabeça.
31 Depois de zombar dele,
tiraram-lhe o manto vermelho
e, de novo, o vestiram com suas próprias roupas.
Daí o levaram para crucificar.
32 Quando saíam, encontraram um homem chamado Simão,
da cidade de Cirene,
e o obrigaram a carregar a cruz de Jesus.
33 E chegaram a um lugar chamado Gólgota,
que quer dizer 'lugar de caveira'.
34 Ali deram vinho misturado com fel para Jesus beber.
Ele provou, mas não quis beber.
35 Depois de o crucificarem,
fizeram um sorteio, repartindo entre si as suas vestes.
36 E ficaram ali sentados, montando guarda.
37 Acima da cabeça de Jesus
puseram o motivo da sua condenação:
'Este é Jesus, o Rei dos Judeus.'
38 Com ele também crucificaram dois ladrões,
um à direita e outro à esquerda de Jesus.
39 As pessoas que passavam por ali o insultavam,
balançando a cabeça e dizendo:
40 'Tu que ias destruir o Templo
e construí-lo de novo em três dias,
salva-te a ti mesmo!
Se és o Filho de Deus, desce da cruz!'
41 Do mesmo modo, os sumos sacerdotes,
junto com os mestres da Lei e os anciãos,
também zombaram de Jesus:
42 'A outros salvou... a si mesmo não pode salvar!
É Rei de Israel... Desça agora da cruz!
e acreditaremos nele.
43 Confiou em Deus; que o livre agora,
se é que Deus o ama!
Já que ele disse: Eu sou o Filho de Deus.'
44 Do mesmo modo, também os dois ladrões
que foram crucificados com Jesus, o insultavam.
45 Desde o meio-dia até às três horas da tarde,
houve escuridão sobre toda a terra.
46Pelas três horas da tarde, Jesus deu um forte grito:
'Eli, Eli, lamá sabactâni?',
que quer dizer: 'Meu Deus, meu Deus,
por que me abandonaste?'
47 Alguns dos que ali estavam, ouvindo-o, disseram:
'Ele está chamando Elias!'
48 E logo um deles, correndo, pegou uma esponja,
ensopou-a em vinagre, colocou-a na ponta de uma vara,
e lhe deu para beber.
49 Outros, porém, disseram:
'Deixa, vamos ver se Elias vem salvá-lo!'
50 Então Jesus deu outra vez um forte grito
e entregou o espírito.
51 E eis que a cortina do santuário
rasgou-se de alto a baixo, em duas partes,
a terra tremeu e as pedras se partiram.
52 Os túmulos se abriram
e muito corpos dos santos falecidos ressuscitaram!
53 Saindo dos túmulos, depois da ressurreição de Jesus,
apareceram na Cidade Santa
e foram vistos por muitas pessoas.
54 O oficial e os soldados
que estavam com ele guardando Jesus,
ao notarem o terremoto e tudo que havia acontecido,
ficaram com muito medo e disseram:
'Ele era mesmo Filho de Deus!'



Palavra da Salvação.







sábado, 12 de abril de 2014

EVANGELHO - MT 27,11-54 - HOMILIA - PE. CLÁUDIO ROBERTO





Ouça a homilia feita por nosso reitor, Pe. Cláudio Roberto na Celebração Eucarística das 17h de hoje (12).







+ Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo Mateus 26,14-27,66

11 Naquele tempo, Jesus foi posto diante do governador,
e este o interrogou:
'Tu és o rei dos judeus?'
Jesus declarou: 'É como dizes',
12 e nada respondeu, quando foi acusado
pelos sumos sacerdotes e anciãos.
13 Então Pilatos perguntou:
'Não estás ouvindo de quanta coisa eles te acusam?'
14 Mas Jesus não respondeu uma só palavra,
e o governador ficou muito impressionado.
15 Na festa da Páscoa,
o governador costumava soltar o prisioneiro
que a multidão quisesse.
16 Naquela ocasião, tinham um prisioneiro famoso,
chamado Barrabás.
17 Então Pilatos perguntou à multidão reunida:
'Quem vós quereis que eu solte:
Barrabás, ou Jesus, a quem chamam de Cristo?'
18 Pilatos bem sabia
que eles haviam entregado Jesus por inveja.
19 Enquanto Pilatos estava sentado no tribunal,
sua mulher mandou dizer a ele:
'Não te envolvas com esse justo! porque esta noite,
em sonho, sofri muito por causa dele.'
20 Porém, os sumos sacerdotes e os anciãos
convenceram as multidões para que pedissem Barrabás
e que fizessem Jesus morrer.
21 O governador tornou a perguntar:
'Qual dos dois quereis que eu solte?'
Eles gritaram: 'Barrabás.'
22 Pilatos perguntou: 'Que farei com Jesus,
que chamam de Cristo?'
Todos gritaram: 'Seja crucificado!'
23 Pilatos falou: 'Mas, que mal ele fez?'
Eles, porém, gritaram com mais força:
'Seja crucificado!'
24 Pilatos viu que nada conseguia
e que poderia haver uma revolta.
Então mandou trazer água,
lavou as mãos diante da multidão, e disse:
'Eu não sou responsável pelo sangue deste homem.
Este é um problema vosso!'
25 O povo todo respondeu:
'Que o sangue dele caia sobre nós
e sobre os nossos filhos'.
26 Então Pilatos soltou Barrabás,
mandou flagelar Jesus,
e entregou-o para ser crucificado.
27 Em seguida, os soldados de Pilatos
levaram Jesus ao palácio do governador,
e reuniram toda a tropa em volta dele.
28 Tiraram sua roupa e o vestiram com um manto vermelho;
29 depois teceram uma coroa de espinhos,
puseram a coroa em sua cabeça,
e uma vara em sua mão direita.
Então se ajoelharam diante de Jesus e zombaram,
dizendo:'Salve, rei dos judeus!'
30 Cuspiram nele
e, pegando uma vara, bateram na sua cabeça.
31 Depois de zombar dele,
tiraram-lhe o manto vermelho
e, de novo, o vestiram com suas próprias roupas.
Daí o levaram para crucificar.
32 Quando saíam, encontraram um homem chamado Simão,
da cidade de Cirene,
e o obrigaram a carregar a cruz de Jesus.
33 E chegaram a um lugar chamado Gólgota,
que quer dizer 'lugar da caveira'.
34 Ali deram vinho misturado com fel para Jesus beber.
Ele provou, mas não quis beber.
35 Depois de o crucificarem,
fizeram um sorteio, repartindo entre si as suas vestes.
36 E ficaram ali sentados, montando guarda.
37 Acima da cabeça de Jesus
puseram o motivo da sua condenação:
'Este é Jesus, o Rei dos Judeus.'
38 Com ele também crucificaram dois ladrões,
um à direita e outro à esquerda de Jesus.
39 As pessoas que passavam por ali o insultavam,
balançando a cabeça e dizendo:
40 'Tu que ias destruir o Templo
e construí-lo de novo em três dias,
salva-te a ti mesmo!
Se és o Filho de Deus, desce da cruz!'
41 Do mesmo modo, os sumos sacerdotes,
junto com os mestres da Lei e os anciãos,
também zombaram de Jesus:
42 'A outros salvou... a si mesmo não pode salvar!
É Rei de Israel... Desça agora da cruz!
e acreditaremos nele.
43 Confiou em Deus; que o livre agora,
se é que Deus o ama!
Já que ele disse: Eu sou o Filho de Deus.'
44 Do mesmo modo, também os dois ladrões
que foram crucificados com Jesus, o insultavam.
45 Desde o meio-dia até às três horas da tarde,
houve escuridão sobre toda a terra.
46 Pelas três horas da tarde, Jesus deu um forte grito:
'Eli, Eli, lamá sabactâni?',
que quer dizer: 'Meu Deus, meu Deus,
por que me abandonaste?'
47 Alguns dos que ali estavam, ouvindo-o, disseram:
'Ele está chamando Elias!'
48 E logo um deles, correndo, pegou uma esponja,
ensopou-a em vinagre, colocou-a na ponta de uma vara,
e lhe deu para beber.
49 Outros, porém, disseram:
'Deixa, vamos ver se Elias vem salvá-lo!'
50 Então Jesus deu outra vez um forte grito
e entregou o espírito.

Aqui todos se ajoelham e faz-se uma pausa.

51 E eis que a cortina do santuário
rasgou-se de alto a baixo, em duas partes,
a terra tremeu e as pedras se partiram.
52 Os túmulos se abriram
e muito corpos dos santos falecidos ressuscitaram!
53 Saindo dos túmulos, depois da ressurreição de Jesus,
apareceram na Cidade Santa
e foram vistos por muitas pessoas.
54 O oficial e os soldados
que estavam com ele guardando Jesus,
ao notarem o terremoto e tudo que havia acontecido,
ficaram com muito medo e disseram:
'Ele era mesmo Filho de Deus!'



Palavra da Salvação