Busque uma postagem

Arquivos

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Durante peregrinação diácono permanente é anunciado para o Santuário

Candidatos apresentados pelo diretor espiritual da Escola Diaconal e reitor do Santuário

Após a peregrinação, diáconos e candidatos ao diaconato permanente participaram de missa que foi marcada, ao fim, pelo grande anúncio dos futuros diáconos permanentes da Arquidiocese de São Luís, José de Ribamar Castro (primeiro da esquerda a direita), paróquia Nossa Senhora da Glória, e Werley Leite, Santuário São José de Ribamar(segundo da esquerda a direita). O Santuário terá novo diácono que já tem data marcada para sua ordenação, dia 11 de setembro, durante o grande festejo do Padroeiro do Maranhão. Antes, os candidatos serão admitidos as Ordens Sacras do Acolitato e Leitorato em três de julho na paróquia da Glória, bairro Alemanha, São Luís.

Diaconato permanente*- O diaconado permanente, restaurado pelo Concílio Vaticano II em harmonia de continuidade com toda a Tradição e com os próprios desejos do Concílio de Trento, conheceu nestes últimos decênios, em muitos lugares, um forte impulso e produziu frutos prometedores, com vantagem para o trabalho urgente da nova evangelização. A Santa Sé e numerosos Episcopados não deixaram de apresentar normas e referências de vida e de formação diaconal, ajudando uma experiência eclesial que, para o seu incremento, necessita hoje de unidade de objectivos, de ulteriores elementos de clarificação e, no plano da acção, de estímulos e determinações pastorais. É toda a realidade diaconal (visão teológica fundamental, consequente discernimento vocacional e preparação, vida, ministério, espiritualidade e formação permanente) que hoje exige um discernimento do caminho percorrido até agora, para chegar a uma clarificação global, indispensável para um novo impulso deste grau da Ordem sacra, de acordo com os desejos e as intenções do Concílio Vaticano II.

(...) 

O serviço dos diáconos na Igreja é documentado desde os tempos apostólicos. Uma tradição consolidada, atestada já por Ireneu e que confluiu na liturgia da ordenação, viu o início do diaconado no acontecimento da instituição dos « sete », de que falam os Actos dos Apóstolos(6, 1-6). No grau inicial da hierarquia sagrada estão portanto os diáconos, cujo ministério foi sempre tido em grande honra na Igreja.(14) São Paulo saúda-os juntamente com os bispos no exórdio da Carta aos Filipenses (cf. Fil 1, 1) e na Primeira Carta a Timóteo enumera as qualidades e as virtudes de que devem estar revestidos para poder realizar dignamente o seu ministério (cf. 1 Tim 3, 8-13).(15)


*http://www.vatican.va