Busque uma postagem

Arquivos

domingo, 29 de maio de 2016

Pentecostes, comunicação e vigília pelos mortos de aids são celebrados no santuário


A alegria da Festa de Pentecostes contagiou romeiros e devotos de São José de Ribamar, que participaram de cinco missas no último domingo, 15 de maio, no Santuário. A última missa do dia, celebrada às 18h30, foi motivada pela solenidade de Pentecostes, o encerramento da Jornada Paroquial de Comunicação e a vigília pelos mortos da AIDS. A celebração foi presidida pelo vice-reitor do Santuário, pe Gutemberg Feitosa, e contou com grande participação dos devotos de São José de Ribamar.
Em homilia, o padre pediu ao Espírito Santo que governe a Igreja e todos os seus organismos, além de rogar para que os dons do Espírito Santo direcione as ações de grupos, pastorais, comunidades e movimentos. “Vamos pedir a Deus que o amor nos coloque em movimento”, convidou.
A igreja foi minimamente ornamentada para o dia, com faixas que representavam cada dom do Espírito Santo.

Jornada de Comunicação

Promovido pela Pastoral da
Comunicação (Pascom), o evento aconteceu na tarde deste domingo de pentecostes (15) e a programação iniciou com uma palestra do coordenador arquidiocesano da PASCOM, pe Guto Feitosa. As oficinas de fotografia, vídeo e texto foram realizadas em seguida e ministradas pela fotógrafa Áurea Costa e os jornalistas César Duarte e Wanderson Lima.


Vigília pelos mortos da AIDS

A vigília pelos mortos de AIDS é um movimento internacional que faz memória das pessoas que faleceram com HIV, além disso, lembrar e rezar pelas pessoas que fizeram parte de nossa história fortalece o compromisso de garantir vida digna a todos e vencer a epidemia.
Em São José de Ribamar, “O índice de soropositivos em São José de Ribamar é alarmante. Isto também corroborou para a nossa escolha por realizar este evento aqui”, conta a Irmã Helvídia Barros, coordenadora regional da pastoral.
A Pastoral da Aids do regional nordeste 5 (Maranhão) realiza atendimento às pessoas que vivem com o vírus, em um prédio no bairro da Liberdade, em São Luís. “Lá, realizamos cerca de 3 mil atendimentos, desde pessoas que vêm do interior e também da capital do estado. Também temos 20 bebês que moram conosco, pois foram abandonados pela família”, explica a Irmã Mônica Laverieri.
Além disso, a pastoral realiza visitas ao Hospital Getúlio Vargas, que trata de pessoas com diagnóstico positivo de HIV/AIDS, ações sociais em comunidades-alvo, panfletagem, acolhimento e encaminhamento para exames e tratamentos, conscientização e incentivo ao diagnóstico precoce e visitas a lugares onde há grande incidência de casos.