Busque uma postagem

Arquivos

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Devotos fazem do Santuário de Ribamar Casa repleta de gratidão e amor

É comum chegar ao Santuário de Ribamar e encontrar devotos pagando, renovando ou firmando promessas junto ao santo protetor dos maranhenses. Durante o Grande Festejo de São José de Ribamar há uma efervescência maior dessa devoção, onde se pode verificar constante e unicamente a devoção dos maranhenses, de forma particular, a São José de Ribamar. São cabeças de cera, velas, ladainhas, louvores, terços,
flores, réplicas. É andar de joelhos ou caminhar de muletas para deixá-las diante da imagem de São José. Os votos deixados são sempre únicos, porque carregam consigo diferentes histórias e ganham diferentes significados.
Há no Santuário uma forte valorização da devoção popular que, como disse dom José Belisário da Silva, arcebispo metropolitano, “apresenta traços fortes e próximos da fé”. Desta maneira foi criado no Santuário para os devotos, o Altar de São José, para que os romeiros possam colocar forma tranquila e a vontade suas promessas dedicadas ao santo querido. Como declara o diácono permanente do Santuário, Pedro Filho, “a devoção a São José atravessa o continente.  Do Europeu para o Americano. Em Especial de Portugal para o Brasil. Devoção essa que começa com uma promessa, a do navegador português que a faz em razão da preservação de sua vida em possível naufrágio na Baía da recém descoberta ilha, e que, como pagamento, constrói uma pequena capela a São José. A devoção vai tomando a cada ano proporções cada vez maiores, chegando os devotos da terra a dedicar seus filhos a São José. Hoje nós percebemos que a Igreja Católica impulsiona esta devoção tendo a convicção que nos passos de São José de Ribamar, o Carpinteiro, se alcança e vive as maravilhas de Cristo Jesus através das bênçãos convertidas em milagres a nós concedidos. ”
Os devotos do padroeiro têm carinho especial pelo santo e demonstram de forma única. Durante a procissão crianças vão vestidas de anjo ou mesmo de São José, homens e mulheres carregando objetos de
cera, velas acessas, orações de terço e ladainha.  Famílias que preparam suas casas para a passagem da procissão e das romarias. A família de Márcio Santiago ornamenta sua casa há mais de cinquenta anos, segundo o morador. "A ornamentação da nossa sacada é uma responsabilidade que é levada a sério e
passada de geração em geração", declarou.  O Sr. José de Ribamar conta que trouxe um boneco de cera para agradecer o filho dado a ele, filho que, segundo os médicos jamais poderia ter.
“ Eu, assim como Abraão, ganhei um filho já na velhice por que Deus olhou por mim, através dos rogos do meu protetor São José, e assim quis”, declarou. São testemunhos e presenças como estas que preenchem o Santuário de São José de Ribamar e fazem da Casa do santo carpinteiro, um lar de amor e gratidão de filhos e filhos que vêm agradecer ao santo protetor que roga por cada um a Deus, Senhor que concede bênçãos e milagres.