Busque uma postagem

sábado, 3 de janeiro de 2015

Distribuição de cestas a famílias carentes

No último dia do ano de 2014, 31, o conselho da paróquia e Santuário São José de Ribamar realizou a distribuição de cestas básicas a famílias no lixeiro ribamarense. A distribuição acontece há alguns anos no mesmo local. Várias famílias foram auxiliadas, bem como crianças foram beneficiadas com a distribuição de roupas e brinquedos.
Felizes pela ação, muitas famílias agradeceram e não puderam conter a emoção de receber alimentos no último dia do ano. Crianças, surpresas, agradeciam com belos e carinhosos sorrisos. O santuário, por meio de seu conselho paroquial,  tem por compromisso todos os anos distribuir cestas a famílias carentes do lixão de São José de Ribamar. 

Francisco e a Caridade* 

(...) Qual é, então, a palavra dos Santos, ou seja, dos filhos da luz?
“Paulo diz: ‘Sejam imitadores de Deus: caminhem na caridade; caminhem na bondade; caminhem na mansidão’. Sejam misericordiosos – diz Paulo – perdoando-se mutuamente, como Deus os perdoou em Cristo. Sejam imitadores de Cristo e caminhem na caridade, ou seja, caminhem na misericórdia, no perdão e na caridade. Esta é a palavra de um filho da luz”.
“Existem cristãos luminosos, repletos de luz – observou o Papa –, que tentam servir o Senhor com esta luz”. E “existem cristãos tenebrosos”, que conduzem “uma vida de pecado, uma vida distante do Senhor” e usam aquelas quatro palavras que “são do maligno”. “Mas há um terceiro grupo de cristãos”, que não são “nem luminosos nem sombrios”:
“São os cristãos cinzentos. E esses cristãos cinzentos uma vez estão de um lado; outra vez, de outro. As pessoas comentam: ‘Mas esta pessoa está bem com Deus ou com o diabo?’ Eh? Sempre cinzentos. Mornos. Não são nem luminosos nem sombrios. Deus não ama esse tipo de pessoa. No Apocalipse, o Senhor diz a esses cristãos cinzentos: ‘Não és quente nem frio. Quem dera fosses quente ou frio. Assim, porque és morno – cinzento – estou para te vomitar de minha boca’.
O Senhor é duro com os cristãos cinzentos. ‘Mas eu sou cristão, mas sem exagerar!’ dizem eles, e fazem tão mal, porque seu testemunho cristão é um testemunho que, no final, semeia confusão, semeia um testemunho negativo”.
Não nos deixemos enganar pelas palavras vazias – exortou o Papa. 
“Ouvimos tantas coisas, algumas belas, bem ditas, mas vazias, sem conteúdo”. Ao invés, comportemo-nos como filhos da luz. “Nos fará bem hoje pensar na nossa linguagem, concluiu o Papa – e nos perguntar: “Sou cristão da luz? São cristão da escuridão? Sou cristão cinzento? E assim podemos dar um passo avante para encontrar o Senhor”.



* fonte: http://www.news.va/